Conhecendo a Grande Vitória: O sistema municipal de Vitória

Dando prosseguimento a nossa série Conhecendo a Grande Vitória, na postagem de hoje, iremos abordar sobre o sistema municipal de Vitória. Mas antes, um pouco da história da cidade!

A história da Vitória

Vitória surgiu devido aos constantes ataques indígenas, franceses e holandeses a Vila Velha, que era a capital da capitania do Espírito Santo. Os portugueses decidiram então mudar a capital e escolheram uma ilha próxima ao continente, chamada pelos índios de Ilha de Guanaani. A Vila Nova do Espírito Santo, como era denominada, foi fundada em 8 de setembro de 1551 e posteriormente denominada Vitória, em memória da vitória em uma grande batalha comandada pelo donatário da capitania, Vasco Fernandes Coutinho, contra os Goitacases.
Até o século passado, os limites da capital capixaba eram o atual Forte de São João, onde atualmente está localizado o Clube de Regatas Saldanha da Gama, próximo ao centro da cidade, e também o morro onde funciona o atual hospital da Santa Casa de Misericórdia, no bairro Vila Rubim. A cidade foi sendo construída nas partes altas, o que deu origem a diversas ruas estreitas. A parte de baixo foi sujeita a ataques e devido a isso foram construídos vários fortes na beira do mar.

Instituto dos Advogados de Vitória (foto superior) e Centro Histórico (foto inferior)  – Fotos extraídas do Wikipédia

Em 24 de fevereiro de 1823 (17 de março de 1829 ?) a vila de Vitória foi elevada a cidade, mas seu isolamento insular evitava seu desenvolvimento. A partir do ano de 1894, com o ciclo do café, iniciaram-se na ilha diversos aterros nas partes baixas da cidade, alterando a forma da ilha e modernizando-a. Foram construídas após disso diversos bairros, escadarias e foram derrubados casarões. Além disso foi melhorado o saneamento.
Em 1941 surgiu o primeiro cais na capital e em 1927 a ponte que ligou a ilha ao continente. O porto se desenvolveu. Em 1949 foram feitos mais aterros e foram construídas amplas avenidas. Depois dessas várias mudanças a cidade tornou-se o maior centro do Espírito Santo. Em 1970 o Porto de Vitória se tornou um dos mais importantes do país, e a capital começou a se industrializar. A modernização da ilha gerou o desaparecimento de quase todos os vestígios da Colônia e do Império na ilha.

Para acessar Vitória, foram construídas 3 pontes:

– A Ponte Florentino Avidos (também conhecida por 5 Pontes), que liga a Rodoviária ao bairro (e terminal Transcol) de São Torquato, que foi construída em 1927
– A Ponte do Príncipe (conhecida por 2ª Ponte), que liga à Av. Nair Azevedo Silva (bairro Ilha do Príncipe) à Rodovia Carlos Lindenberg (Vila Velha), inaugurada em 1979
– E a Ponte Deputado Darcy Castello de Mendonça (ou a 3ª Ponte), integrante da ES-060 (Rodovia do Sol), que liga a Reta da Penha ao Centro de Vila Velha. A 3ª Ponte é considerada uma das 10 maiores pontes do país, com um vão central de 70m de altura (o 2º maior)

E o sistema municipal é composto por 56 linhas, com uma frota de 342 veículos, divididos entre 3 empresas: Viação Grande Vitória (esta também opera linhas do sistema Transcol), Viação Tabuazeiro e Unimar Transportes (outra que opera no sistema Transcol). Não há uma numeração padrão para as empresas. A tarifa dos ônibus convencionais é de R$ 2,35 e a dos ônibus seletivos, R$ 2,50. Vejam abaixo uma galeria de fotos com ônibus das 3 empresas, confiram!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s