Especial Belo Horizonte: O embarque e conhecendo o sistema BHBus

Em comemoração aos 5 anos do Portal Flumibuss, hoje começa uma série de matérias especial sobre o sistema de transportes de Belo Horizonte/MG, onde o site passou 20 dias na cidade e vamos mostrar um pouco de como funciona os transportes na cidade. Para você ir para BH, somente duas empresas fazem o trecho Rio x Belo Horizonte, a ÚTIL e a Cometa. Dependendo do tipo de serviço, a passagem pode sair à quase R$ 200,00, como mostra o quadro abaixo. Tabla ÚTIL

Os dois ônibus em que o site viajou. DD da ÚTIL 11504 (foto 1), registrado em Barbacena e o GTV da Cometa 11403 (foto 2), registrado em Belo Horizonte, momentos antes de retomar ao Rio.

Os dois ônibus em que o site viajou. DD da ÚTIL 11504 (foto 1), registrado em Barbacena e o GTV da Cometa 11403 (foto 2 – abaixo), registrado em Belo Horizonte, momentos antes de retomar ao Rio.

P1200548

Enquanto que a ÚTIL faz em 7:00 (em média) o trecho, com uma troca de motorista em Juiz de Fora e a parada técnica em Barbacena, a Cometa faz em 6:00 (em média) o trecho, sem troca de motorista e com a parada técnica em Juiz de Fora.

A chegada em Belo Horizonte e tentando decifrar como funciona:

A nossa chegada foi pela Av. Nossa Senhora do Carmo (que liga o BH Shopping à Região da Savassi, conhecido polo cultural da cidade), à primeira vista, pra quem nunca foi à cidade, até se estranha com um padrão totalmente diferente do Rio de Janeiro. O órgão gerenciador das linhas da cidade é a BHTrans (Empresa de Trânsito e Transporte de Belo Horizonte), ligado à Prefeitura de Belo Horizonte. Na cidade, existem 5 tipos de linhas, conforme mostra o infográfico abaixo:

Tipos de linha BH

As linhas, ao contrário da cidade do Rio, podem ser identificadas de 3 tipos de numeração diferentes, a saber:

– 3 dígitos: Linhas alimentadoras, onde o primeiro dígito representa a Regional de onde parte. Quase sempre, estas linhas são atreladas às estações BHBus, às estações do Metrô e com o advento do MOVE, tornam-se complemento dos moradores que saem dos bairros em direção ao Centro e à Área Hospitalar.
Exemplos:
104 – Lagoinha x Avenida (linha atrelada ao Metrô, com origem na Regional Centro-Sul)
406 – Estação Ponto São José x Pindorama (linha alimentadora, com origem na Regional da Pampulha)

– 4 dígitos: Presente na maioria das linhas, onde o primeiro dígito representa a Regional de origem, enquanto que o segundo representa a Regional de destino. Os dois outros dígitos servem para diferenciar o tipo de serviço prestado, sendo do 01 ao 29 para as diametrais, 30 ao 49 para as linhas que vão ao Centro e retornam e de 50 em diante para as linhas interbairros.
Exemplos:
2101 – Grajaú x Sion (liga a Regional Oeste à Regional Centro-Sul)
9030 – Castanheiras x Centro (liga a Regional Leste ao Hipercentro)
2150 – Grajaú x Sion via Contorno (liga à Regional Oeste à Regional Centro-Sul sem passar pelo Centro)

– Sistema SC e SE:
As linhas SC consistem em 4 pares de linhas abraçantes, que ligam toda a região da Avenida do Contorno, que literalmente contorna o Hipercentro, ao Centro. São elas:
SC01 – Avenida do Contorno (A = horário, B = anti-horário)
SC02 – Santa Efigênia/Praça Sete x Savassi (A = via Praça da Liberdade e Santa Casa; B = via Santa Casa e Praça da Liberdade)
SC03 – Hospital Felicio Rocho x Hospital Militar (A = horário, B = anti-horário)
SC04 – Santa Casa x Rodoviária via Savassi (A = horário; B = anti-horário)

As duas linhas SE existentes atualmente ligam o Savassi à Cidade Administrativa (SE01) e ao bairro Buritis (SE02), com tarifa mais alta que o padrão normal.

Além das linhas convencionais, existem as linhas suplementares, equivalentes ao Transporte Alternativo do Rio, que faz o complemento justamente às linhas convencionais, o que evita a concorrência desleal. Possuem 3 tipos de tarifa: R$ 2,20, R$ 2,50 e R$ 3,10.

Micro-ônibus do sistema Suplementar de BH. Enquanto que o RJ tenta forçar a operar com vans, BH opera com micro-ônibus normalmente.

Micro-ônibus do sistema Suplementar de BH. Enquanto que o RJ tenta forçar a operar com vans, BH opera com micro-ônibus normalmente.

No próximo capítulo da série especial, você vai conhecer um pouco mais da estrutura dos consórcios da cidade, as estações BHBus e o sistema MOVE. 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em ANTT, BHTrans com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s