Possíveis mudanças no trio Graças, Verdun e Transurb a caminho

A mudança mais sentida será a absorção da Verdun pelas outras duas irmãs

Passageiros da Viação Verdun poderão notar uma mudança radical nos próximos meses. É porque nesta quarta-feira iniciou importantes mudanças na empresa sediada em Água Santa, Zona Norte do Rio. As duas outras empresas que compõem o grupo (a Transurb e a Nossa Senhora das Graças) assumiram nesta última quarta-feira a direção da empresa e foi acertado que ambas as empresas absorverão a Verdun.

1-P1360669

A previsão é que até o final do primeiro trimestre de 2018, as linhas da Verdun estejam com a Transurb e a Nossa Senhora das Graças

Em princípio, a Nossa Senhora das Graças absorverá as linhas 238 (Água Santa x Castelo – via Grajaú/Estácio/Lapa) e 455 (Méier x Copacabana – via Aterro), enquanto que a Transurb ficará com as linhas 239 (Água Santa x Castelo – via Av. Marechal Rondon) e 247 (Camarista Méier x Passeio/Cinelândia – via Lapa), podendo sofrer alterações com o passar do tempo. Como o processo envolverá diversos trâmites burocráticos, tais como a troca de registro na carteira de trabalho de motoristas, fiscais e despachantes, renumeração de ônibus, a previsão é que as primeiras mudanças efetivas sejam percebidas a partir do final do primeiro trimestre de 2018.

1-P1360685

Com as mudanças previstas, a Transurb passa a ser uma das únicas empresas, juntamente com a Expresso Recreio à operar em praticamente todas as regiões da cidade.

A decisão de fechar a Viação Verdun não é de agora. Segundo fontes ouvidas, o mandatário da empresa, Davi Barata, já queria encerrar as atividades da empresa, transferindo as operações para as outras empresas há pelo menos dois anos. Especula-se que em nome da Viação Verdun, haja mais de 1000 processos.

Em resposta publicada no Twitter, a Rio Ônibus alega que a empresa não fechou as portas diante da crise, que segundo eles coloca em risco outras 11 empresas da cidade e que a mesma opera regularmente. Mas, em consulta ao site do sindicato, o nome da Verdun não aparece mais na relação das empresas do Consórcio Internorte. Um pouco ‘contraditório’.

Anúncios