É oficial: Via Rio Class é oficialmente cassada pela Prefeitura

P1170826

Spectrum Class operando na 2346, linha que será assumida pelo Consórcio Transcarioca na segunda-feira. Foto: Gabriel Petersen Gomes

Após muita indefinição com o início da greve na Via Rio Class, a Secretaria Municipal de Transportes cassou, na noite de hoje, a concessão da empresa consorciada ao Internorte, Transcarioca e Santa Cruz, em razão da má prestação de serviço na região da Pavuna e Anchieta, o que desrespeita o contrato de concessão em vigor. Segundo a nota oficial publicada pela Secretaria Municipal de Transportes, o Consórcio Internorte (no qual a empresa tem a maior parcela de linhas) foi notificado três vezes consecutivas por causa da má conservação dos ônibus e do não cumprimento da frota determinada das linhas (que não pode ser inferior à 80% durante os dias úteis e 70% aos fins de semana). Como a empresa não regularizou a situação, o Consórcio foi multado com base no Código Disciplinar dos Ônibus, em vigor desde 2012. Diante das negativas, a Prefeitura determinou o encerramento das atividades da empresa a partir deste sábado (28/11).

“A Secretaria Municipal de Transportes não vai admitir o mau

P1170824

Linha 385 – Village x Passeio, uma das que estarão no plano de contingência determinado pela SMTR. Foto: Gabriel Petersen Gomes

atendimento à população. O consórcio já havia sido notificado diversas vezes para que desse solução ao serviço precário que estava sendo realizado. Determinamos a implementação imediata do plano de contingência sob pena de multa diária. Se em 30 dias a situação não estiver normalizada, a multa contratual será ainda maior”, afirma o secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani.

Desde sábado (dia 21/11), a linha 386 (Mariópolis x Passeio) vem sendo operada pela Viação Pavunense. A SMTR determinou, no plano de contingência, que o Consórcio Internorte opere, além da 386, as seguintes linhas:

  • 375 (Ricardo de Albuquerque x Passeio)
  • 381 (Mariópolis x Fundão)
  • 384 (Pavuna x Passeio via Porto e Anchieta)
  • 385 (Village Pavuna x Passeio via Camboatá)
  • 399 (Pavuna x Passeio via Alcobaça e Av. Presidente Vargas)
  • 945 (Pavuna x Fundão)
  • 947 (Pavuna x Coelho Neto)
  • 2295 (Pavuna x Castelo) – Frescão
  • 2302 (Mariópolis x Castelo) – Frescão

O Consórcio Transcarioca ficará responsável pela operação da linha de frescão 2346 (Vila Valqueire x Castelo – via Av. Brasil) e o Consórcio Santa Cruz pela operação da linha 300 (Sulacap x Candelária). A empresa possuía aproximadamente 400 motoristas e 100 cobradores, que deverão ser absorvidos pelas empresas que assumirem estas linhas.

Anúncios

Prefeitura extingue as linhas 261 e 2304, por ineficácia de operação

ImagemMá notícia para os usuários das linhas 261 (Marechal Hermes x Praça XV) e 2304 (Sepetiba x Carioca – via Av. Padre Guilherme Decaminada). A Prefeitura do Rio publicou, nesta quinta-feira no Diário Oficial, um decreto cancelando as duas linhas. Segundo a Secretaria de Transportes, foi constatado ineficácia de operação por parte das detentoras das duas linhas mencionadas (261 – Via Rio e 2304 – Algarve). Segundo a Secretaria de Transportes, a decisão foi motivada por recorrentes falhas de operação, que prejudicavam o nível de serviço oferecido aos passageiros. Os problemas foram constatados pela fiscalização da secretaria e por denúncias de passageiros feitas pelo telefone 1746.

Em 30 dias serão criadas novas linhas para entrar no lugar das extintas. E neste imbróglio, a versão da linha 277 (Rocha Miranda x Praça XV) até Marechal Hermes ganha mais força para ser efetivada com nova numeração.

RELEMBRE O CASO 261

Em agosto de 2013, uma matéria veiculada no Bom Dia Rio mostrou o estado dPavunense 014os ônibus
que rodavam à época. Após a denúncia, 16 carros da linha foram rebocados pela Prefeitura (e posteriormente, estes carros foram reformados e distribuídos entre as linhas 300 – Sulacap x Carioca e 945 – Pavuna x Fundão). A Prefeitura convocou as empresas Novacap, Vila Real, Pavunense e Estrela para estarem operando a linha em conjunto e criou uma extensão da linha 277 (Rocha Miranda x Praça XV) até Marechal Hermes para ajudar os passageiros. 1 mês e meio depois, Novacap e Vila Real deixaram a operação da linha, ficando somente a Via Rio, Pavunense e a Estrela. No começo de 2014, começaram a surgir comentários de que a Pavunense e a Estrela estariam interessadas em abocanhar a linha para elas, expulsando a Via Rio, assim. Porém, graças aos carros que estavam circulando na parte da Via Rio, micrões herdados da Auto Diesel e usados da Matias, o desfecho nada agradável se consolidou.